PT  |  EN

Cibercrime: o que é e como evitar

As tecnologias de informação e comunicação desempenham um papel fundamental na sociedade atual e a crescente dependência dos sistemas informáticos, tornou o cibercrime um fenómeno frequente.

De forma geral, o cibercrime engloba toda a atividade criminosa praticada através de meios informáticos e pode concretizar-se por diversos métodos e com consequências variadas, dependendo sempre da intenção de quem o pratica.

Quais as formas de cibercrime mais comuns em Portugal?

Em 2021, o número de cibercrimes em Portugal aumentou 81% face a 2020. Com a informatização da maioria dos nossos hábitos, seja através do e-commerce (compras online), pela subscrição de serviços online (serviços de streaming ou revistas online) – providenciando dados pessoais – ou pela partilha de informação e, mais recentemente, pelo teletrabalho, tornou-nos alvos fáceis a este tipo de crime.

Há 2 tipos de cibercrime que se destacam em Portugal:

  • Phishing” – consiste na obtenção de informação privada de forma fraudulenta através de mensagens que aparentam ser verídicas ou legítimas (difusão de mensagens de email e SMS contendo malware), campanhas orientadas para a captação de dados pessoais utilizando a imagem de entidades oficiais (entidades bancárias; públicas e privadas).
  • Burla informática – acontece, com mais frequência, na compra e venda de bens em plataformas online, onde a vítima, a pedido do agente, faculta os seus dados de acesso ao MB WAY ou solicita pagamentos sem entrega do bem vendido.

Saiba como prevenir ataques informáticos

A prevenção e a adoção de comportamentos conscientes é o primeiro passo para evitar o cibercrime. Por isso, recomendamos que adote as medidas descritas abaixo para proteger os seus dados pessoais.

  • Evite ligações de wifi “abertas” (redes públicas que pode aceder sem necessidade de password);
  • Utilize um programa antivírus adequado;
  • Não aceda a links e anexos desconhecidos;
  • Não abra “janelas” que aparecem no browser durante uma navegação alertando o usuário que o seu computador está infetado;
  • Não responda a comunicações provenientes de desconhecidos;
  • Não utilize dados pessoais em palavras-chave e frases de segurança (como a data de nascimento, o nome da mãe ou de um animal de estimação);
  • Evite guardar documentos importantes em localizações não seguras (não-encriptadas);
  • Não envie informação confidencial por email ou por qualquer sistema de troca de comunicações não encriptado;
  • Privilegie informação obtida através de fontes oficiais e plataformas seguras;
  • Insira credenciais em websites fiáveis e que encriptam a informação inserida (HTTPS);
  • A autenticação deve ser de dois fatores (tradicional password e um segundo “fator” que está relacionado com o envio de alertas e notificações de segurança para os utilizadores – por exemplo, um SMS);
  • A Firewall deve estar sempre ativa.

Partilhe esta Notícia!

Últimas Notícias

Ver todas as Notícias
2022-10-10T09:27:40+00:00